(19) 4101-9494
comercial@revistafrigonews.com.br
Governo dos EUA planeja ação mais dura para conter altos preços das carnes

Governo dos EUA planeja ação mais dura para conter altos preços das carnes


Criado: 09 Setembro 2021 | Atualizado: 09 Setembro 2021
Tamanho da fonte
pequena
normal
grande
Versão para impressão
imprimir

O governo Biden planeja adotar uma postura mais dura em relação aos frigoríficos que, afirma, estão prejudicando o varejo de carnes do país.

Quatro empresas controlam grande parte do mercado de processamento de carne dos EUA e assessores do presidente Joe Biden culparam essas empresas pelo aumento dos preços dos alimentos em um.

Como parte de um conjunto de iniciativas, o governo canalizará US$1,4 bilhão em dinheiro do programa destinado a superar os efeitos da pandemia para pequenos produtores e trabalhadores de carne, disseram assessores do governo no blog. Eles também prometeram ações para "reprimir a fixação ilegal de preços".

Quatro empresas abateram cerca de 85% do gado engordado com grãos dos EUA que é transformado em bifes, assados e outros cortes de carne para consumidores em 2018, de acordo com os dados mais recentes do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Os quatro grandes processadores no setor de carne bovina dos Estados Unidos são a Cargill, trader global de commodities com sede em Minnesota; a Tyson Foods Inc, produtora de frango e maior empresa de carnes dos Estados Unidos em vendas; a JBS, com sede no Brasil, maior frigorífico do mundo; e a National Beef Packing Co, controlada pela produtora brasileira de carne bovina Marfrig Global Foods.

A Tyson Foods, que vende carne bovina, suína e de frango, rejeitou a acusação da Casa Branca de que a consolidação no setor de frigoríficos está elevando os preços. A empresa culpou a pandemia e a escassez de mão de obra nos Estados Unidos por limitar a produção. Suas ações terminaram 1,4% mais baixas, em $76,17.

"A escala da Tyson permite que ela opere com eficiência, o que mantém os custos baixos para os consumidores", disse a empresa.

Cargill, JBS e National Beef não comentaram.

"Publicar declarações inflamadas que ignoram os fundamentos de como a oferta e a demanda afetam os mercados não leva a nada", disse Mark Dopp, diretor de operações do North American Meat Institute, um grupo da indústria que representa os frigoríficos.

Os aumentos nos preços da carne bovina, suína e de aves geraram metade dos aumentos nos preços que os americanos pagam pelos alimentos que consomem em casa desde dezembro, disse a Casa Branca. O governo vê essas empresas obtendo muito lucro depois que o estímulo ajudou a aumentar a demanda por seus produtos.

"Ajudamos a sustentar esse mercado e é frustrante ver essas empresas mudarem de posição e aumentar os preços", disse Bharat Ramamurti, vice-diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, em uma entrevista. "O que vemos aqui cheira a especulação pandêmica e esse é o comportamento que o governo considera preocupante."

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos EUA mostrou que os preços da carne bovina e de vitela subiram 6,5% em relação ao ano anterior, enquanto os preços das aves subiram 5,3% e os da carne suína 7,8%. Os saltos dos preços das aves no ano passado foram os maiores desde 2004 e os maiores desde 2014 para a carne bovina e suína.

O aumento da inflação representou uma séria ameaça aos esforços de Biden para controlar a pandemia COVID-19 - sua principal prioridade como presidente - e engendrar uma recuperação econômica da recessão que ela causou.

O governo Biden respondeu em parte intensificando os esforços para reprimir o que considera um comportamento anticompetitivo e monopolista que poderia estar aumentando os preços.
Uma reunião do novo Conselho de Concorrência da Casa Branca, criado por Biden, está marcada para esta sexta-feira.

O USDA e o Departamento de Justiça já estão conduzindo uma investigação sobre a fixação de preços na indústria de processamento de frango.

"O objetivo disso com o tempo é baixar esses preços", disse Ramamurti.

Os legisladores dos Estados Unidos estão buscando maior supervisão do setor de carne bovina à medida que aumentam as preocupações com o comportamento anticompetitivo após a pandemia e um ataque cibernético à JBS USA.

O governo está "encorajado" pela legislação bipartidária que pode auxiliar a melhorar ainda mais as negociações de preços no mercado de carnes, afirmou o blog.

Fonte: Reuters - Trevor Hunnicutt


O que você achou desta informação?

Avaliação

Deixe sua avaliação
Governo dos EUA planeja ação mais dura para conter altos preços das carnes
Comentários
0
Deixe seu comentário

Comentários

Faça parte da notícia, deixe seu comentário, expresse sua opinião.
E-mail protegido, também não gostamos de SPAM
Sua mensagem foi enviada com sucesso!

WhatsApp